30 out 2015

estrias gestacionais

O QUE SÃO?

Um dos principais medos e queixas  das mulheres, em consultório dermatológico,  antes, durante e após a gestação é o surgimento das estrias. Estas, muito comuns neste  no período, são lesões que ocorrem na pele em geral em áreas de grande distensão cutânea.

O estiramento contínuo e progressivo da pele, pode ocorrer além do período da gravidez, na adolescência (com o crescimento rápido e mudança corporal), na obesidade e com o aumento rápido da massa muscular. Algumas patologias onde há aumento endógeno de corticóides,  como a síndrome de Cushing, ou o uso destes de maneira sistêmica ou em grandes áreas tópicas, também são fatores predisponentes de estrias.

Além do estiramento da pele no período da gestação, fatores hormonais e hereditariedade também são fatores que contribuem para o surgimentos das estrias. A gestação é um período de grandes mudanças hormonais. Ocorre o aumento de estrogênio, relaxina e de cortisol (principalmente nos dois últimos trimestres), hormônios que facilitam o surgimento das malditas.

Alguns estudos mostram que a presença prévia de estrias em mamas e coxas, a história familiar, o grande ganho de peso na gravidez (ganhos superiores a 15 kg), o maior peso do neonato, o maior IMC (índice de massa corpórea) da mãe prévio a gravidez, gestações gemelares, e a idade menor das gestantes (menores de 20 anos), seriam fatores associados a uma maior tendência ao aparecimento das estrias.

Elas costumam ocorrer principalmente no segundo e terceiro trimestre, podendo ser observadas em cerca de 40% das gestantes após a 24a semana. Os principais locais acometidos são o abdome e mamas, mas podem ocorrer também em coxas e nádegas. Surgem em geral mais avermelhadas arroxeadas, podendo ser acompanhadas de prurido (coceira), e tendem a ser mais graves (numerosas, compridas e largas) em mulheres mais jovens. Conforme vão “envelhecendo”, vão assumindo uma coloração mais esbranquiçada e sensação de atrofia.

COMO EVITAR?

Como prevenção, a visita ao dermatologista para avaliação de fatores predisponentes, da elasticidade da pele,  e orientação especial de cuidados para este período tão especial da vida da mulher,  é de grande valia.

Medidas como evitar um ganho ponderal rápido e excessivo( >15 kg) e diminuir o IMC antes de engravidar (mulheres com IMC>27) é recomendado. Para isso uma dieta balanceada, rica em proteínas, frutas e verduras, e com redução de alimentos calóricos e açúcares, e a prática de atividades físicas adequadas à gestação, são muito importantes.

O uso de cremes hidratantes, com ativos que não sejam nocivos ao feto,  principalmente a partir da 12a semana de gestação é recomendado.

COMO TRATAR?

Como  tratamento,  pela gestação e pelo aleitamento, alguns recursos não podem ser usados. A microdermoabrasão (peeling de cristal), pode ser usado durante a gestação e  amamentação, sendo um tratamento leve e que requer múltiplas sessões.

O uso de ácidos como o retinóico e o glicólico, podem melhorar muito as estrias, mas em geral evitamos nestes períodos.

O uso de Lasers, Luz pulsada,  radiofrequências, microagulhamento e outras tecnologias, são de grande valia, porém devem ser contra-indicadas na gestação e avaliadas apenas no período pós parto.

Espero ter orientado um pouquinho sobre essas lesões tão temidas!!

Assinatura Flavia Novis

escrito por Flavia Novis
0 Comentários / Compartilhe:
Tags: , , ,
28 ago 2015
creme na gravidez
Quando engravidamos bate a dúvida: o que posso usar? Qual Creme? Qualquer hidratante? Esmalte normal? Cosméticos todos?
Vou tentar então esclarecer um pouquinho das principais dúvidas das futuras mamães…
Como dito em um post anterior, de uma maneira geral, os cosméticos de uso capilar como xampus, condicionadores e hidratantes capilares são , salvo alguma orientação na embalagem, seguros para uso em gestantes. Já os produtos destinados a alisamentos, permanentes, clareamento  de pêlos e cabelos, e as tinturas devem ser evitados. Se de extrema necessidade,  devemos deixar o uso destes produtos para o último trimestre da gestação.  Lembrando que os tratamentos com formol para os cabelos são totalmente proibidos!!!!
As maquiagens em geral são seguras, mas devemos evitar aquelas que contenham em sua composição mercúrio, vitamina A e seus derivados (como retinol), ácido salicílico, parabenos e lauril sulfato de sódio. Alguns batons podem apresentar altos índices de chumbo em sua composição (o pior é que não vem indicado nas bulas!!!), devendo assim serem evitados.  O ideal é investir em maquiagens com ativos inorgânicos, maquiagens minerais.
Vale a lembrança ainda que muitas mulheres têm um aumento da oleosidade e piora da acne na gestação, sendo ideal evitar assim medicações e maquiagens oleosas durante este período!
São vários os ingredientes usados em esmaltes e removedores. O tolueno, o formaldeído e o dibutilftalato (DBP) são componentes potencialmente nocivos e passíveis de causar alergias.
Portanto devem ser evitados em esmaltes.  Hoje em dia existem esmaltes 3free, livres destas três químicas, 4free, livres de cânfora e até 5free, livres da resina de formaldeído, que já podem ser encontrados.  O etil metacrilato é um aditivo químico usado em unhas artificiais. Foi detectado teratogenicidade em ratos e tem sido demonstrado dermatite de contato alérgica, mas não existem estudos em humanas grávidas.
São poucas as evidências de toxicidade dos filtros solares ao longo dos anos, e eles são extremamente necessários durante o período de gestação. Neste período pelo aumento hormonal (principalmente de estrogênio, progesterona e hormônio de pigmentação), as mulheres tendem a manchar. Os fotoprotetores são de grande valia principalmente para a prevenção do tão temido melasma ou máscara gravídica, mas devemos   dar preferência aos filtros físicos (aqueles que funcionam como uma barreira) em relação aos filtros químicos (aqueles que impedem a absorção dos raios UV através de reações químicas na superfície da pele).
Quanto aos hidratantes corporais, nós dermatologistas, super indicamos no período da gravidez!!! Devem ser usados principalmente nas áreas críticas,  visando a prevenção de estrias. Mas cremes hidratantes contendo úreia, em especial em concentrações maiores de 3%,devem ser evitados!!!
Entre os cremes antienvelhecimento, os retinóides tópicos (ácido retinóico, retinol, adapaleno e retinaldeido), são os queridinhos dos dermatologistas. Mas devem ser evitados na gestação!
Outros ácidos como o salicílico e o glicólico, e clareadores como a hidroquinona também devem ser evitados neste período. Cremes contendo vitamina C, ácido hialurônico e ácido azeláico,  podem ser usados na gestação.
Os autobronzeadores, são cremes ou sprays que tem como base a dihidroxiacetona (DHA), destinados a reagir com a camada mais superficial da pele gerando uma pigmentação. Apesar da possibilidade de só uma pequena absorção pela pele, como não temos estudos que comprovem a segurança, eles devem ser evitados principalmente no primeiro trimestre.
Espero ter ajudado assim as futuras mamães. Afinal, queremos estar bonitas e cuidadas para receber nos braços nossos futuros pequenos, mas sempre com muita segurança!!!
Até a próxima!
Assinatura Flavia Novis
escrito por Flavia Novis
2 Comentários / Compartilhe:
Tags: , , , , ,