03 jan 2015

Oi!!!

Antes de começar a publicar no blog, acho que seria muito legal me apresentar.  Certo?  Então vamos lá!

Quem escreve o blog?

Meu nome é Fernanda, sou a editora do blog e mãe da Giovanna, uma menina doce, alegre, encantadora e decidida (rsrsrs, está na fase de saber o que quer e mostrar veementemente para que ninguém tenha dúvida, sabe?) de um ano e sete meses. Como para a maioria das mães que lerá esse post, tive a vida e os sentimentos completamente transformados com a chegada da minha filhota.

Ela chegou quietinha (muito mesmo!), no dia 20 de maio de 2013, quando a vida d.G. (depois de Giovanna) começou.

De onde surgiu a ideia de ter um blog?

Os blogs sobre o universo materno infantil costumam nascer durante a gravidez, ou logo depois do nascimento, como uma forma de dividir as experiências da blogueira com o mundo, não é?

Com o Blog da Mãe Coruja foi bem diferente!  Primeiro veio o aplicativo Mãe Coruja, a fanpage, o instagram e só depois ele chegou!

Durante os preparativos para o nascimento da Giovanna, eu comprei um caderninho para as visitas ao Pediatra, um outro para mamadas e trocas de fralda e um livro do bebê. Todos lindos, combinando, uma graça! Coloquei o das mamadas na mesinha ao lado da cadeira de amamentação, perto do abajur, para facilitar as anotações.

Depois que ela nasceu eu percebi que a última coisa que eu faria na vida era acender a luz durante uma mamada noturna quando ela está naquele soninho bom… Apesar de nós mães desenvolvermos o superpoder de enxergar quase tudo no escuro ele não vale para esse tipo de coisa…

Notei que para essas mamadas, eu sempre levava meu celular. Foi quando eu decidi procurar um app que me ajudasse nessas anotações. Assim se deu a aposentadoria do meu caderninho de mamadas e trocas de fralda.

Na segunda visita ao Pediatra, notei que havia esquecido em casa o caderninho onde anotei todas as dúvidas que eu tinha para tirar e quase enlouqueci, pois eram muuuuitas (se seu filho ainda não nasceu, prepare-se: sua memória vai embora junto com a placenta, e demora muito pra voltar a ser como era…).

Não preciso falar sobre o destino do caderninho de consultas, né?

Foi aí que eu comecei a minha busca por um aplicativo para celular que fosse mais completo, que reunisse todas as informações importantes para mim. Não achei muita coisa não… Tudo o que eu vi era ou muito simples ou muito complexo.

Então eu decidi criar o aplicativo Mãe Coruja.  Nos próximos posts eu vou falar mais dele, mas quem ainda não conhece a carinha linda dele olha só:

aplicativo mãe coruja telas

Para divulgar o aplicativo eu lancei uma Fanpage e uma conta no Instagram. Comecei postando sobre o app e fui tomando gosto em postar imagens de festas, decoração de quartos, fui interagindo com outras mães, fazendo parcerias muito legais, conhecendo gente bacana e foi me dando vontade de ter um espaço maior, onde eu pudesse falar mais e trocar ideias com as leitoras. Foi aí que pensei no blog.

Eu não queria que fosse mais um “blog de maternidade” como você a gente vê por aí, onde as blogueiras dividem as experiências e pontos de vista sobre o exercício da maternidade. Não pretendo ter como foco contar minhas experiências como mãe. Pontos de vista sobre maternidade a gente já tem muito né? Eu sou seguidora de vários blogs assim e amo!

Quero trazer pra vocês algo novo! Aqui você encontrará referências e informação especializada. Aos poucos eu vou contando o que vamos ter por aqui.  Acho que vai ser bem divertido.

Ah! E quero saber a opinião de vocês, hein? Não deixem de comentar.

Espero que vocês aproveitem muito o nosso espaço.

Bjks.

 

escrito por Fernanda
0 Comentários / Compartilhe:
Tags: , , ,