12 abr 2017

alimentação da nutriz

Após o nascimento, a mãe que amamenta é chamada de nutriz. Nesta condição é preciso ter alguns cuidados para promover o bem-estar geral da mãe e garantir uma boa recuperação no pós-parto.

Os benefícios da amamentação, tanto para o bebê quanto para a mãe já estão cientificamente comprovados. Devido a sua adequada composição nutricional, o leite materno é o alimento mais perfeito e indicado para o crescimento e desenvolvimento do bebê.

Sabe-se hoje que o aleitamento materno diminui o índice de mortalidade infantil.  Além disso traz alguns benefícios para a mãe.  Entre eles o retorno ao peso pré-gestacional mais precocemente e o menor sangramento uterino pós-parto devido à involução uterina mais rápida provocada pela maior liberação de ocitocina, que é estimulada pela sucção do bebê.  Com isso, previne-se anemias na mãe e garantindo o aporte de ferro para o bebê através do leite materno. Alguns estudos ainda investigam uma possível diminuição de risco de câncer de mama e ovário.

Durante o período de lactação as necessidades enérgicas da mãe aumentam e são necessárias em média 500kcal a mais por dia para cobrir o conteúdo energético do leite secretado e também o gasto de energia para a produção de leite.

As recomendações de proteína, cálcio e outros minerais também são maiores, portanto uma alimentação equilibrada é fundamental para a recuperação da mãe e o sucesso da amamentação.

Com uma alimentação balanceada, a perda do peso adquirido durante a gestação acontece de maneira gradual e saudável, não sendo recomendado nenhum tipo de dieta, tanto para redução de peso, quanto para evitar cólicas no bebê. Visto que as cólicas são a imaturidade do intestino do bebê não é necessário restringir nenhum alimento da rotina alimentar da mãe. Porém, convém não abusar de alimentos processados e observar qualquer ligação de consumo alimentar com reações no bebê.

Aproveite as próximas dicas e continue a cuidar de você após a gestação também!

Dicas para uma boa alimentação da nutriz, no pós-parto e no período de lactação:

– Opte por alimento naturais e evitar industrializados que contém muitos conservantes e outras substância químicas tóxicas indesejadas em qualquer período da vida;

– Usar o bom senso, comer de forma variada e colorida, ter alimentos de fácil acesso sempre por perto, como frutas picadas e armazenadas em potinhos e oleaginosas para lanches. Preparar e congelar pequenas porções de alimentos, para então ir tirando e esquentando quando necessário.  Se necessário, peça ajuda para alguém para preparar os alimentos, molhos, vegetais, arroz, feijão, risotos, sopas, tudo pode ser congelado;

– Não faça nenhuma dieta restritiva para emagrecer durante o período de amamentação exclusiva;

– Beba bastante liquido, preferência por água pura ou suco natural sem açúcar, a recomendação fica em torno de 3 a 4 litros de água por dia;

– Escute o seu corpo e aprenda a regular seus mecanismos de fome e saciedade, ou seja, coma quando tiver fome. Não ”esqueça” de comer, assim não ficará fraca e estará mais disposta ao longo do dia;

– Aumente a ingestão alimentos ricos em fibras, prefira os carboidratos integrais e frutas com casca, além de consumir folhosos verdes diariamente;

– Consuma vegetais verdes escuros, carnes e leguminosas diariamente, garantindo o aporte de ferro, cálcio e proteínas;

– Consuma alimentos ricos em ômega-3, azeite de oliva extra virgem, peixes como sardinha e salmão, linhaça. Esses alimentos têm potencial antidepressivo.

– Consuma frutas ricas em Vitamina C, como limão, laranja, tangerina, acerola, morangos, kiwi

– Evite o consumo exagerado de café, chá mate, chá preto e refrigerantes. Bebidas alcoólicas são desaconselhadas durante o período de aleitamento materno;

– Faça o retorno a atividade física conforme orientação do médico e acompanhamento de educador físico. A atividade física regular trará tanto benefícios físicos como psíquicos.

 

escrito por Lilia Grazziotin
0 Comentários / Compartilhe:
Tags: , , , ,
26 jan 2017

Seu filho já ficou doente e você não encontrava a carteirinha do convênio? A pediatra perguntou sobre as vacinas e você não estava com a carteirinha de vacinação? Precisou fazer o RG do seu filho mas não encontrava a certidão de nascimento?

No post de hoje vou citar os documentos importantes que deve ser organizados e estar sempre a mão:

  • Certidão de Nascimento: Ao nascer, no hospital ou na maternidade os pais recebem uma via da Declaração de Nascido Vivo (DNV), que deve ser levada a um Cartório de Registro Civil, próximo ao local de nascimento ou da casa da família, algumas maternidades possuem um cartório próprio. Ela deve ser retirada em até 15 dias é gratuita e deve ser guardada pela vida toda.
  • Carteirinha de Vacinação: A carteirinha de vacinação foi criada pelo Ministério da Saúde e serve para registrar as vacinas que a criança tomou e as que ela precisa tomar. É o oferecida em todos os serviços de vacinação do país gratuitamente. Ela é fundamental nos primeiros anos da criança onde ela estão mais suscetíveis a doenças. O App Mãe Coruja pode te ajudar muito a se organizar em relação a isso!
  • RG: é o documento oficial emitido pela Secretaria de Segurança Pública para todos os cidadãos nascidos e registrados no Brasil. A primeira via é gratuita e as seguintes variam conforme a região. Ele tem maior durabilidade que a certidão de nascimento, mas alguns pais optam por fazer quando as crianças estão maiores. Não tem validade mas é aconselhável mudar de 10 em 10 anos por causa da foto.
  • CPF: Cadastro de Pessoa Física é um banco de dados gerenciado pela Secretaria da Receita Federal do Brasil que armazena as informações cadastrais dos cidadãos. Para tirá-lo você deve ir a uma entidade pública conveniada que varia em cada estado, ou Agências do Banco do Brasil, Caixa Econômica ou Correio. Não tem validade e nas entidades públicas é gratuita e em outras paga-se uma taxa de emissão.
  • Passaporte: é exigido para a entrada em outros países. O seu uso só é dispensável no caso de viagens pela América do Sul. Para tirá-lo precisa de agendamento e é pago uma taxa de emissão. O passaporte é válido por cinco anos, desde que a criança tenha 5 anos ou mais:

0 a 1 – 1 ano
1 a 2 – 2 anos
2 a 3 – 3 anos
3 a 4 – 4 anos
4 em diante – 5 anos

O que mais?

  • Carteirinha do Convênio: se possui convênio médico, você precisa levar a carteirinha em todas as consultas.
  • Pasta com os exames médicos: organize todos os exames do seu filhote numa pastinha para nāo se perder. No blog Kalinka Carvalho tem um post sobre o assunto.
  • Pasta com os trabalhos escolares: você verá que seu filho é um artista e vai querer guardar tudo, mas cuidado. Veja post sobre como organizar os trabalhos dos filhos aqui no blog.
  • Fotos Impressas e Digitais: se imprimir faça álbuns padronizados e coloque sempre a data_evento atrás das fotos. Já que estamos numa era digital e iremos ter muitas fotos dos nossos pequenos, comece logo a organizá-las no computador. Eu sugiro que faça pastas no computador com ano_mes_dia_nome_do_evento. Use letras minúsculas e “_” ou “-“ para ocupar menos espaço na memória do computador e padronize.
  • Livro do bebê: muitas māes gostam de curtir o momento criando e ilustrando o livro do bebê, assim quando as crianças crescerem saberão mais sobre elas mesmas.

E ai gostaram? Documentos do filhos organizado? Vamos brincar e curtir os pequenos!

 

escrito por Kalinka Carvalho
0 Comentários / Compartilhe:
Tags: , ,